Ladytron (Helen Marnie) escolhe seus 3 discos favoritos e bate papo com o Urbanaque

O Ladytron estourou internacionalmente entre os indies no final de 2005 com o hit “Destroy Everything You Touch” e entrou em hiato em meados de 2012 após o lançamento do seu quinto disco de estúdio. Mas agora, finalmente, está de volta – e mega íntimo do Brasil.

Batemos um papo rápido com a escocesa Helen Marnie, vocalista e compositora do grupo, sobre suas influências indiretas e diretas, pausa nas atividades e retorno com videoclipe gravado em, veja só, São Paulo.

O próximo álbum de estúdio do Ladytron, o sexto da carreira, ainda não tem nome, mas já temos dois singles para sentir como vai ser a pegada do trabalho: “The Island”, que saiu no mês de agosto, e “The Animals”, o primeiro single que ganhou clipe oficial gravado em São Paulo. A escolha do local não foi tão inesperada para quem acompanha a banda, já que o guitarrista, Daniel Hunt, mora há alguns anos no Brasil. Será que a Marnie acabou se ligando mais na música tupiniquim através dele?

“O Daniel mora no Brasil há uns 5 anos, mais ou menos. Então foi muito natural para ele gravar (o clipe) aí. Eu não estou muito ligada nas bandas brasileiras, mas já escutei Lia Paris, e o Igor Cavalera tem feito um som muito interessante. Ele inclusive nos visitou em estúdio e tocou bateria em algumas músicas do novo disco”, revela.

O Ladytron ficou parado por um tempo e foi intencional, mas não era para a pausa ter durado tanto. “O hiato foi intencional, mas a quantidade de tempo que durou não. Todos nós precisávamos de um descanso, um tempo um do outro, um tempo de nós mesmos, um tempo para explorar novos caminhos, porém sempre planejamos nos reunir para compor novas músicas. Só levou um tempinho a mais.”

Quando perguntamos para Marnie o que mais ela estava escutando ultimamente e sobre possíveis influências, ela foi bem sincera: “Estamos ouvindo bastante Ladytron agora. Acabamos de masterizar o (novo) disco, então as novas músicas ainda estão no meu ouvido.” Justo. “E acho particularmente difícil citar artistas que me influenciam no Ladytron. Talvez alguns de forma inconsciente, mas não sei dizer. Entretanto, eu quis adicionar uma pegada mais dançante em algumas faixas do novo álbum, que lembram o início da carreira da banda.”

Mesmo sem citar influências contemporâneas, a Marnie listou para o Urbanaque 3 discos que mudaram a vida dela.

The Bluetones – “Expecting to Fly” (1996)

“Eles foram a primeira banda indie pop que descobri sozinha. Ninguém me indicou, então eu sentia como se eles fossem só meus. Acho que significaram a transição da minha adolescência para a vida adulta.”.

Nancy Sinatra & Lee Hazlewood – “Nancy & Lee” (1968)

“Esse disco me apresentou um estilo totalmente diferente de cantar. Cantar não precisava ser algo forçado, poderia ser apenas suave e bonito.”

Lamb – “Lamb” (1996)

“Acabei conhecendo o Lamb na Penny Lane Records em Liverpool quando ouvi “Gorecki”. Fui fisgada. Acho que essa banda, junto com o Portishead e o Moloko, foram minha introdução ao trip hop e ao drum and bass. Eu nunca fiz parte desse movimento, mas nada me impedia de curtir um drum and bass nas noites de Liverpool.”

 

O novo disco do Ladytron ainda não tem data de lançamento e nem título definido, mas assim que soubermos divulgamos por aqui 😉

um escrevedor aficionado por música pop, quadrinhos, cinema, games, etc.

Be first to comment