“Metronomy Forever” não é só no nome do sexto álbum de estúdio do quinteto britânico Joseph Mount (voz, teclado e guitarra), Oscar Cash (backing vocal, teclado e saxofone), Gbenga Adelekan (baixo e backing vocal), Michael Lovett (backing vocal, teclado e Violão) e Anna Prior (bateria e backing vocal). A frase escolhida pra batizar o último trabalho dos londrinos, “Metronomy pra sempre” (em tradução livre), também resume o sentimento dos brasileiros que lotaram o Audio Club, em São Paulo, na noite do último sábado (7/12). Em mais uma edição do Popload Gig.

“Metronomy Forever” não é só no nome do sexto álbum de estúdio do quinteto britânico Joseph Mount (voz, teclado e guitarra), Oscar Cash (backing vocal, teclado e saxofone), Gbenga Adelekan (baixo e backing vocal), Michael Lovett (backing vocal, teclado e Violão) e Anna Prior (bateria e backing vocal). A frase escolhida pra batizar o último trabalho dos londrinos, também resume o sentimento dos brasileiros que lotaram o Audio Club, em São Paulo, na noite do último sábado (7/12). Em mais um Popload Gig.

Pela terceira vez no Brasil, a última delas no Lollapalooza Brasil, o Metronomy segue arrastando um público que os idolatra, apaixonado, por onde passa. E não é pra menos, a energia vinda da plateia é igualmente proporcional à vinda do palco. Seja em detalhes como uma simples frase de Anna Prior em português; na performance inquieta de Gbenga Adelekan (sempre um show à parte); nas dancinhas sincronizadas de Oscar Cash e Michael Lovett nas laterais do palco; ou na paixão do vocal de Joseph Mount. Tudo no Metronomy funciona (e muito bem) ao vivo.

Dessa vez a apresentação foi dominada pelas canções de “Metronomy Forever”, lançado em setembro deste ano, foram nove no total. Apesar de novas, renderam alguns dos grandes momentos da noite, como foram os casos de “Lately”, “Insecurity”, “Salted Caramel Ice Cream” e “Wedding Bells”. Até momentos de pura viagem eletrônica, como em “The End Of You Too”, do disco “Nights Out” (2008), foram acompanhados com muita intensidade pelo público de São Paulo, que dançou e bateu muita palma, praticamente marcando o ritmo de todo o show.

Como já era de se esperar, “Everything Goes My Way” e “The Look”, ambas do álbum “The English Riviera” (2011), proporcionaram momentos memoráveis. A primeira, mais fofa e igualmente dançante, com muita gritaria assim que entrou o vocal de Anna Prior.

Já “The Look” merece um parágrafo à parte, literalmente. Hit máximo do Metronomy, a canção teve esse status amplificado no Brasil ao entrar para a trilha sonora de “A Dona do Pedaço”, novela da Globo que terminou no dia 22 de novembro. Certamente levou um público novo ao Audio, e continua sendo uma das canções mais legais de se ver ao vivo.

“Metronomy Forever” não é só no nome do sexto álbum de estúdio do quinteto britânico Joseph Mount (voz, teclado e guitarra), Oscar Cash (backing vocal, teclado e saxofone), Gbenga Adelekan (baixo e backing vocal), Michael Lovett (backing vocal, teclado e Violão) e Anna Prior (bateria e backing vocal). A frase escolhida pra batizar o último trabalho dos londrinos, “Metronomy pra sempre” (em tradução livre), também resume o sentimento dos brasileiros que lotaram o Audio Club, em São Paulo, na noite do último sábado (7/12). Em mais uma edição do Popload Gig.

Pela terceira vez no Brasil, a última delas no Lollapalooza Brasil, o Metronomy segue arrastando um público que os idolatra, apaixonado, por onde passa. E não é pra menos, a energia vinda da plateia é igualmente proporcional à vinda do palco. Seja em detalhes como uma simples frase de Anna Prior em português; na performance inquieta de Gbenga Adelekan (sempre um show à parte); nas dancinhas sincronizadas de Oscar Cash e Michael Lovett nas laterais do palco; ou na paixão do vocal de Joseph Mount. Tudo no Metronomy funciona (e muito bem) ao vivo.

Dessa vez a apresentação foi dominada pelas canções de “Metronomy Forever”, lançado em setembro deste ano, foram nove no total. Apesar de novas, renderam alguns dos grandes momentos da noite, como foram os casos de “Lately”, “Insecurity”, “Salted Caramel Ice Cream” e “Wedding Bells”.

Até momentos de pura viagem eletrônica, como em “The End Of You Too”, do disco “Nights Out” (2008), foram acompanhados com muita intensidade pelo público de São Paulo, que dançou e bateu muita palma, praticamente marcando o ritmo de todo o show.

Como já era de se esperar, “Everything Goes My Way” e “The Look”, ambas do álbum “The English Riviera” (2011), proporcionaram momentos memoráveis. A primeira, mais fofa e igualmente dançante, com muita gritaria assim que entrou o vocal de Anna Prior.

Já “The Look” merece um parágrafo à parte, literalmente. Hit máximo do Metronomy, a canção teve esse status amplificado no Brasil ao entrar para a trilha sonora de “A Dona do Pedaço”, novela da Globo que terminou no dia 22 de novembro. Certamente levou um público novo ao Audio, e continua sendo uma das canções mais legais de se ver ao vivo. O clichê explosão de felicidade define bem o que ela causa nas pessoas, até o mais mau humorado não consegue ficar parado quando ela toca.

Se depender dessa última passagem pelo Brasil, o Metronomy não irá demorar pra voltar. Eles sabem que tocar por aqui é jogo ganho, é sentir um amor genuíno de um público dedicado. Os brasileiros fazem por merecer o carinho da banda, e agradecem se eles existirem pra sempre.

Tags:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *